sexta-feira, 9 de fevereiro de 2018

Alface







Alface, Lactuca sativa L., originária do Leste do Mediterrâneo, da família Asteraceae.
Uma das hortaliças mais consumidas em todo o mundo a alface é rica em vitaminas, sais e água e tem baixíssimas calorias. Ao longo do tempo recebeu muitas modificações genéticas o que gerou um grande número de variedades. Pode ser consumida crua, refogada, em sucos etc., enfim use sua imaginação.
Planta que dificilmente ultrapassa os 40 cm, com folhas grandes e saborosas que se inserem no caule em forma de roseta, flores em forma de capítulo (pequenas flores inseridas num receptáculo discoide ou arredondado protegido por brácteas), fruto seco de pequena proporção, que não se abre naturalmente e que apresenta apenas uma semente.
Muito fácil de se cultivar, suas pequenas sementes devem ser dispostas em bandejas ou diretamente no canteiro, neste caso com proteção de uma tela e sempre lembrando do espaçamento, que deve ser do tamanho da planta adulta.
Pode ser plantada em canteiros, vasos ou floreiras, mas sempre recebendo bastante sol, gosta de solo rico em húmus e com boa drenagem.
Multiplica-se por sementes.



domingo, 4 de fevereiro de 2018

BERINJELA












Berinjela, Solanum melingena L., originária da Índia, da família Solanaceae.
Cultivada há mais de 2 mil anos na Índia e China e há muito tempo também no Oriente Médio e África.

Planta tratada como anual, que completa seu ciclo em menos de um ano, mas pode viver alguns anos. Folhas pilosas e com alguns espinhos, inclusive no cálice da flor. Flor arroxeada em forma de estrela com o centro amarelo, hermafrodita e se autofecunda. Fruto roxo escuro e brilhante, rico
 em vitaminas, sais minerais, água e com pouquíssimas calorias.Normalmente a planta atinge aproximadamente 1m de altura.
Muito fácil de plantar, inclusive para quem mora em apartamento com varanda que receba luz solar, é só espalhar as sementes sobre o substrato (terra preparada com areia, composto orgânico e terra vermelha) e cobrir com uma camada  de aproximadamente 0,5 cm de areia.
Desenvolve-se bem em solo úmido, mas não encharcado, rico em húmus e com boa drenagem.
Multiplica-se por sementes. Fica pronta para a colheita entre 3 a 6 meses.


Perguntei a minha sobrinha
- você gosta de berinjela ?
- não gosto muito, e
la fica picando minha boca.
- vem ver a berinjela plantada aqui em casa.
Mostrei as flores e os diversos estágios do fruto.
Preparei a berinjela com tomate e queijo, mas antes, deixei de molho em 1 litro de água com suco de 1 limão por uns 20 minutos.
Não picou e e ela virou fã de berinjela.


terça-feira, 31 de janeiro de 2017

Ornitófora








Ornitofora
Ornithophora radicans (Rchb.f.) Garay & Pabst, originária da Serra do Mar no sudeste e sul brasileiros. Família Orchidaceae.  
Seu nome, Ornithophora devido suas flores parecerem pássaros em voo e radicans, porque produz muitas raízes.
Como uma planta tão pequena pode ser tão charmosa?
É uma orquídea epífita, a minha está grudada em uma placa de madeira, mas ficam lindas em árvores também. Rizomas (caule modificado) levemente alongado; folhas compridas, parecem gramas; pseudobulbos bifoliados de onde saem as inflorescências. Flores muito pequenas, mas vale olhar com atenção para ver a beleza.
Prefere clima um pouco mais quente e úmido. Muitos pensam que as orquídeas, devido a sua beleza, dão muito trabalho, que são muito delicadas, mas na verdade são plantas muito resistentes e exigem poucos cuidados. A ornitofora fica linda amarrada em árvores ou troncos. Irrigar quando a planta e o ar estiverem secos.

Multiplica-se facilmente pela divisão da planta, retirada de plantas filhotes.

segunda-feira, 12 de setembro de 2016

O Inverno mais lindo do mundo IV







Finalizando a missão de mostrar porque São Paulo tem um inverno tão lindo, absolutamente florido; com espécies que só florescem nessa estação, outras que podem ter adiantado a floração devido aos dias de calor ou mesmo aquelas que florescem o ano todo; segue mais um breve comentário sobre o assunto.
Muitas vezes as pessoas mudam, mas com a intenção de voltar. Percebo que uma boa parte das pessoas que vieram para São Paulo foram definitivamente. Isso muda completamente o jeito de lidar com o lugar, quando é para sempre, é colocado todo o esforço para crescer e produzir.
Agora falando não só da capital, mas do Estado de São Paulo, encontramos aqui importantíssimos viveiros de plantas com uma produção incrível e que distribui não só para outros estados, mas para outros países.
Então, em São Paulo com sua grande variação de clima, acolheu bem não só pessoas, como plantas, vindas de diversos lugares do mundo. Com a grande força de trabalho, essas plantas se multiplicaram e são espalhadas por aí.

Isso faz com que a maior cidade economicamente do Brasil; com seus 12 milhões de habitantes, que é repleta de prédios, com pouco mais de 4m2 de áreas verdes por habitante; tenha a maior diversidade de plantas disponíveis para uso em jardins.  
Aqui as lindas glicínias, mais lindas que nunca, talvez devido ao excesso de frio desse ano e ao tempo seco.

Chuva de flores no inverno de São Paulo





No inverno de São Paulo não encontramos neve no chão, mas flores que embelezam o chão, a copa das árvores, os cabelos e encantam nossos olhos. Troca boa não?
Os ipês roxos, amarelos e brancos florescem no friozinho em São Paulo e fazem um espetáculo a parte.

sexta-feira, 9 de setembro de 2016

O inverno mais lindo do mundo III










Quem mora em São Paulo sabe a dificuldade em escolher a roupa que usará, pois parece que temos as quatro estações em um só dia. Isso, ao que parece, agrada muitas plantas.
A pergunta é, por que o clima de São Paulo é tão instável.
Podemos observar não só pelas diferenças de temperatura e umidade do ar que há influência dos Pampas do Sul, do Cerrado e da Mata Atlântica, é uma área de transição, isso pode se confirmar pela presença da vegetação típica desses lugares.
Além diss...o, a presença de rios, áreas de proteção ambiental, grandes parques, áreas totalmente urbanizadas etc., fazem de São Paulo um mosaico de 77 microclimas segundo o Atlas Ambiental do Município de São Paulo.
Então, se a planta precisar de calor, frio, seca, chuva... ela vai encontrar. Esse é um dos motivos para o grande número de espécies presentes em São Paulo.

O inverno mais bonito do mundo II








Continuando a missão de convencê-los sobre a beleza do inverno em São Paulo.
Não houve um só dia, durante o inverno, que no curto trajeto da minha casa ao meu trabalho, não ultrapassa 05 km, que eu não vi mais de 100 espécies diferentes de plantas floridas. Contando com as da minha casa e do Parque Ibirapuera.
Em São Paulo existe qualidade e quantidade de plantas para uso em jardim. Nunca encontrei um lugar com tantas espécies diferentes, isso é ao mesmo tempo uma delícia e um martírio para quem quer fazer o seu jardim, é difícil escolher. É um número imenso de espécies disponíveis, como em nenhum outro lugar.
Vocês já pensaram nisso? E sabem porquê?
Para não ficar um texto muito grande, eu explico nas próximas postagens.